Lixo Zero em Copacabana registra duas multas nas primeiras duas horas

Multas de R$ 98 a R$ 3 mil começaram a valer nesta terça na Zona Sul. Estrangeiros também podem ser multados por descarte irregular de lixo.

Mariucha Machado Do G1 Rio

Duas pessoas foram multadas nas primeiras duas horas de fiscalização do programa Lixo Zero em Copacabana, na Zona Sul do Rio, nesta terça-feira (3), entre elas uma mulher que foi flagrada jogando uma guimba de cigarro no chão. Após receber multa de R$ 157, na Praça Serzedelo Correia, ela saiu correndo, sem falar com a imprensa.

O programa Lixo Zero, que adotou punição para aqueles que descartem resíduos no chão, chega à região após multar quase 500 pessoas em apenas uma semana de funcionamento apenas no Centro da cidade.

Serão 126 profissionais percorrendo as ruas e a orla da “Princesinha do Mar”, trabalhando de três em três. O trio — formado por um agente da Comlurb, um guarda municipal e um PM — poderá penalizar, inclusive, quem jogar lixo na areia da praia. A multa vai de R$ 98 a R$ 3 mil, conforme o tamanho do objeto.

E, como o bairro recebe muitos turistas durante o ano, eles também devem ficar atentos: os estrangeiros podem ser multados pelo descarte irregular de lixo através do passaporte.

Na manhã desta terça-feira (3), o G1conversou com algumas pessoas que se mostraram favoráveis a determinação. Gente como o pedreiro Jane Célio. “Eu concordo com essa campanha. Quando eu estou no carro, eu deixo o lixo no carro. Se estou na rua, coloco o lixo no bolso e quando chego em casa jogo na lixeira. Tem que doer no bolso para as pessoas aprenderem”, afirmou.

A aposentada Ilda Prado também pode ser considerada um exemplo. Enquanto passeia pelo bairro, ela guarda a guimba do cigarro em uma caixinha e, ao se deparar com uma lixeira, faz o descarte correto.

Mas também há quem reclame da falta de local adequado para o descarte do lixo.

“Eles têm que colocar lixeiras grandes, essas aí são muito pequenas. Eu acho boa a multa, mas tem que mudar isso”, afirmou o aposentado Antonio Ferreira.

O Centro foi a primeira região onde a Prefeitura do Rio começou a aplicar a Lei Municipal de Limpeza Urbana. E, para o presidente da Comlurb, Vinicius Roriz, já houve uma mudança no comportamento da população.

“As pessoas estão mais conscientes, a gente percebe isso. No Centro da cidade, o lixo que vai pro chão reduziu 34%. A gente vai fazer a cada semana a implantação do programa em uma área nova. A próxima será Ipanema e Leblon, na Zona Sul, e Madureira e Campo Grande”, afirmou Roriz.

O custo do lixo

Em 2012 foram recolhidas 1.225.690 toneladas de resíduos das ruas, praias e encostas da cidade. O número é equivalente a três estádios do Maracanã repletos de lixo.

Limpar a sujeira jogada no lugar errado custa caro ao contribuinte; aproximadamente R$ 600 milhões por ano. Se fosse possível reduzir em apenas 15% a quantidade de lixo, o dinheiro economizado seria suficiente para construir 1.184 casas populares, 30 clínicas da família ou 22 creches.

Fonte: http://g1.globo.com/rio-de-janeiro/noticia/2013/09/primeiras-duas-horas-de-lixo-zero-em-copacabana-registra-duas-multas.html

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
×

Tudo bem?

Clique no Profissional abaixo para conversar conosco.

×