Entenda mais a Lei que cria a Autoridade Nacional de Segurança Nuclear – ANSN

Por Marcos Tadeu de Paula Lana – OAB/MG 141.130

Publicada, em 18/10/2021, no Diário Oficial da União, a Lei Federal Nº 14.222, de 15 de outubro de 2021, que cria a Autoridade Nacional de Segurança Nuclear (ANSN).

A norma, já em vigor, é oriunda da Medida Provisória Nº 1.049/2021, que, após os trâmites no Congresso Nacional, foi aprovada e convertida em Lei. 

De acordo com o art. 2º, a ANSN tem como finalidade institucional monitorar, regular e fiscalizar a segurança nuclear e a proteção radiológica das atividades e das instalações nucleares, materiais nucleares e fontes de radiação no território nacional, nos termos do disposto na Política Nuclear Brasileira e nas diretrizes do governo federal.

A ANSN terá sede no Estado do Rio de Janeiro, na Cidade do Rio de Janeiro, e foi criada a partir do desmembramento da Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEN). Ressalta-se que as duas autarquias utilizarão orçamento, estrutura e pessoal atualmente previstos para a CNEN. Assim, não haverá aumento de despesas no orçamento da União.  

Cabe destacar que a ANSN será responsável pela regulação, fiscalização e licenciamento. Por outro lado, a CNEN conduzirá os trabalhos de pesquisa e desenvolvimento do setor. É importante ressaltar, ainda, que a CNEN continuará vinculada ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI), enquanto a ANSN será vinculada ao Ministério de Minas e Energia (MME).

A criação da ANSN tem como principal objetivo separar a pesquisa da regulação e fiscalização. Assim, sua criação visa atender as exigências da Convenção de Viena, que foi aderida pelo Brasil.

É importante destacar que foram revogados os seguintes dispositivos da Lei nº 6.189, de 16 de dezembro de 1974:

a) do caput do art. 2º:

1. alínea “fdo inciso IV; e

2. incisos VIII, IX, X, XIII, XIV, XVII e XVIII;

b) parágrafo único do art. 4º;

c) parágrafo único do art. 10;

d) arts. 5º, 6º, 7º, 8º e 9º; e

e) arts. 11, 12, 13, 14, 15, 16, 17 e 18;

Ainda, foram revogados o art. 23 da Lei nº 8.691, de 28 de julho de 1993 e a Lei nº 13.976, de 7 de janeiro de 2020, na íntegra. 

Quanto às alterações de hipótese de incidência e de valor da taxa de licenciamento, controle e fiscalização de instalações e materiais nucleares e radioativos e suas instalações (TLC), ressalta-se que a Lei produzirá efeitos apenas em 1º de janeiro de 2022.

Dúvidas sobre as funções do ANSN e a CNEN surgem e por isso convidamos a ouvir o episódio do Podcast Legal que traz esclarecimentos. Clique aqui

A Equipe da Rocha Cerqueira encontra-se à disposição e sempre atenta às atualizações normativas.

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Solicite seu Calendário das Obrigações Ambientais

Preencha o formulário abaixo com seus dados e receba o calendário solicitado em seu endereço de e-mail.

    Possui ou busca qual(s) certificação(s)?
    Cargo/função na empresa
    Você deseja receber o Calendário de qual estado?

    Alagoas será enviado
    Bahia será enviado
    Ceará será enviado
    Espírito Santo será enviado
    Goiás será enviado
    Maranhão será enviado
    Mato Grosso será enviado
    Minas Gerais será enviado
    Pará será enviado
    Paraíba será enviado
    Pernambuco será enviado
    Rio de Janeiro será enviado
    Rio Grande do Norte será enviado
    Rio Grande do Sul será enviado
    Rondônia será enviado
    São Paulo será enviado
    Tocantins será enviado

    ×

    Tudo bem?

    Clique no Profissional abaixo para conversar conosco.

    ×