Junho Verde: Como sua empresa vais se engajar

Junho Verde: um convite para a transformação sustentável

Sumário

Com a chegada do mês de junho, as empresas têm uma oportunidade única de refletir sobre suas práticas ambientais e promover a sustentabilidade em suas operações.

O Junho Verde é um convite para a transformação sustentável, incentivando CEOs e gestores a adotarem iniciativas que vão além da mera conformidade com as normas ambientais.

É um momento para repensar a cultura empresarial e incorporar práticas sustentáveis em todas as áreas da organização, desde a gestão de resíduos até a cadeia de suprimentos.

Neste artigo, vamos explorar a importância desse movimento e como ele pode ser uma oportunidade para mudanças positivas.

Por que junho é o mês do meio ambiente?

O Junho Verde é um período que estimula a sociedade a refletir e agir em prol da conservação e proteção do meio ambiente. Esse mês foi escolhido para destacar o Dia Mundial do Meio Ambiente, que é comemorado em 5 de junho, uma data estabelecida pelas Nações Unidas em 1972.

Desde então, o Dia Mundial do Meio Ambiente vem sendo comemorado anualmente com o objetivo de conscientizar a população sobre questões ambientais relevantes e, portanto, mobilizar a sociedade para ações concretas em prol da sustentabilidade.

E, neste ano de 2023, comemoraremos o 50º aniversário do Dia Mundial do Meio Ambiente, o que reforça a importância de se pensar e agir de forma sustentável em todas as áreas da sociedade. A República de Côte d’Ivoire(Costa do Marfim) será sede desse importante evento global, que terá como tema “Soluções para a poluição plástica”.

Junho verde: Temas e tendências que devem ser monitorados pelas empresas, mercado e sociedade

Além da poluição plástica, há diversos outros temas relacionados ao meio ambiente e ao desenvolvimento sustentável que merecem atenção por parte das empresas, do mercado e da sociedade: A crise energética, a recuperação das florestas tropicais, o financiamento da transição de baixo carbono e a ação climática são alguns exemplos de temas que devem estar no radar das empresas e serem abordados de forma consciente e responsável.

Crise Energética:

A crise energética é uma preocupação global que afeta a sustentabilidade e a economia de diversos países. A dependência de fontes de energia fósseis e a exploração insustentável dos recursos naturais têm consequências diretas sobre o meio ambiente e sobre a sociedade, sendo necessário investir em soluções mais sustentáveis e conscientes.

As empresas têm um papel fundamental na promoção de práticas mais sustentáveis e conscientes em relação à crise energética. A dependência de fontes de energia fósseis e a exploração insustentável dos recursos naturais afetam diretamente a economia e a sustentabilidade global, o que pode gerar impactos negativos nos negócios. Incorporar o tema crise energética em seu planejamento estratégico é essencial para a promoção de práticas mais sustentáveis e para reduzir os riscos ambientais e financeiros.

Para isso, as empresas podem investir em soluções mais sustentáveis e conscientes, como a implementação de fontes de energia renováveis, a redução do consumo de energia e a adoção de políticas de gestão de resíduos. Além disso, as empresas podem incentivar seus fornecedores e parceiros a adotar práticas mais sustentáveis e conscientes.

Recuperação das Florestas Tropicais:

As florestas tropicais desempenham um papel fundamental na regulação do clima e na preservação da biodiversidade, além de serem importantes fontes de recursos naturais. A recuperação dessas florestas é um desafio global que exige ações conjuntas e a adoção de práticas sustentáveis.

Por isso, é importante que as empresas estejam atentas à recuperação das florestas tropicais por sua importância na regulação do clima e na preservação da biodiversidade. Além disso, as florestas tropicais são importantes fontes de recursos naturais e sua recuperação pode gerar oportunidades econômicas sustentáveis.

As empresas podem mirar em práticas de reflorestamento e conservação das florestas tropicais, investir em tecnologias e projetos que promovam a preservação e incentivar seus fornecedores e parceiros a adotar práticas mais sustentáveis em relação às florestas tropicais.

Essas ações, alinhadas ao olhar atento sobre como se como os incentivos ao desmatamento zero serão adotados em escala global, por meio de regulamentações de cadeias de valor, financiamento para proteção florestal são pontos importantes para tomadas de decisão e posicionamento estratégico de vanguarda por parte das empresas como modelos de gestão relacionados ao ESG mais maduros e consistentes.

Financiamento da Transição de Baixo Carbono:

O financiamento da transição para uma economia de baixo carbono é uma prioridade para o desenvolvimento sustentável. O setor financeiro tem um papel importante a desempenhar nessa transição, incentivando investimentos em tecnologias e projetos mais sustentáveis.

No Brasil, o financiamento da transição de baixo carbono vem sendo tratado por meio de iniciativas governamentais e do setor financeiro. O governo federal estabeleceu metas e diretrizes para a redução de emissões de gases de efeito estufa e tem promovido incentivos fiscais e financeiros para a implementação de projetos sustentáveis.

É indicado que as empresas acompanhem iniciativas como a Iniciativa Bridgetown

Lançado em 2022 e liderado pela primeira-ministra de Barbados, Mia Mottley, esse plano é abrangente e pode reformular por completo o sistema financeiro global, direcionando recursos e investimentos de baixo carbono para onde são mais necessários. O plano inclui reformas de bancos de desenvolvimento multilaterais, reestruturação de dívidas, recursos para adaptação e perdas e danos.

Dessa forma, vale acompanhar potenciais e propícios momentos como as reuniões do GT e do G20 em maio e julho, respectivamente; a Cúpula dos Chefes de Estado na Índia em outubro; e a próxima conferência climática da ONU (COP28), em novembro.

Ação Climática:

A mudança climática é uma das maiores ameaças globais e exige ações imediatas e conjuntas por parte da sociedade. A adoção de práticas sustentáveis e a implementação de políticas públicas efetivas são essenciais para reduzir os impactos das mudanças climáticas e promover a sustentabilidade.

As empresas podem investir em fontes de energia renováveis, implementar programas de gestão de resíduos e de reciclagem, adotar práticas de mobilidade sustentável e de compras sustentáveis, além de engajar seus colaboradores em programas de conscientização e educação ambiental. É importante que as empresas também estabeleçam metas e indicadores para avaliar e monitorar seu desempenho em relação à ação climática.

Além disso, as empresas podem colaborar com outras organizações e com o poder público para promover ações conjuntas em prol da ação climática. Parcerias público-privadas, incentivos fiscais e financeiros e a promoção de tecnologias sustentáveis são algumas das formas pelas quais as empresas podem colaborar com outras instituições em prol da ação climática.

Juntos, esses temas ajudarão a moldar o futuro do planeta. Para mais informações sobre possíveis desdobramentos em cada uma dessas áreas, veja a apresentação completa do Stories to Watch.

Junho Verde e os ODSs

Os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODSs) são uma iniciativa global das Nações

Rocha Cerqueira

Unidas para promover um desenvolvimento sustentável e erradicar a pobreza. As empresas têm um papel importante a desempenhar na consecução dos ODSs e o Junho Verde é uma oportunidade para avaliar o desempenho em relação a esses objetivos e identificar oportunidades para melhorar. Portanto, vamos destacar alguns dos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável que podem nortear as empresas a se engajarem de forma criativa e eficiente nas ações do Junho Verde:

ODS 11 – Cidades e comunidades sustentáveis:

O ODS 11 visa tornar as cidades e assentamentos humanos inclusivos, seguros, resilientes e sustentáveis. Para as empresas, esse ODS significa repensar o uso dos recursos naturais e promover ações que minimizem o impacto das atividades urbanas no meio ambiente.

Durante o Junho Verde, as empresas podem implementar projetos que promovam o desenvolvimento urbano sustentável, como iniciativas de mobilidade sustentável, uso de tecnologias limpas, reutilização de recursos hídricos e redução de resíduos.

ODS 12 – Consumo e produção sustentáveis:

O ODS 12 busca promover padrões de consumo e produção mais sustentáveis. Para as empresas, isso significa adotar práticas que reduzam o consumo de recursos naturais e a geração de resíduos, além de promover a reciclagem e a reutilização de materiais.

Durante o Junho Verde, as empresas podem promover campanhas de conscientização sobre a importância da sustentabilidade na produção e consumo de bens e serviços, implementar práticas de logística reversa e redução do desperdício de alimentos.

ODS 13 – Ação contra a mudança global do clima:

O ODS 13 busca combater a mudança do clima e seus impactos negativos. Para as empresas, isso significa reduzir as emissões de gases de efeito estufa em suas operações e em toda a cadeia produtiva.

Durante o Junho Verde, as empresas podem implementar ações como a utilização de fontes de energia renovável, adoção de práticas de eficiência energética, incentivar a mobilidade sustentável e promover o engajamento dos colaboradores em ações de redução de emissões.

ODS 14 – Vida na água:

O ODS 14 tem como objetivo proteger e restaurar os ecossistemas marinhos e costeiros. Para as empresas, isso significa adotar práticas que minimizem o impacto de suas atividades no meio ambiente marinho, além de promover ações de conservação e recuperação desses ecossistemas.

Durante o Junho Verde, as empresas podem promover campanhas de conscientização sobre a importância da preservação dos ecossistemas marinhos, implementar práticas de redução de resíduos e poluição em áreas costeiras e engajar seus colaboradores em ações de limpeza e conservação de praias e rios.

ODS 15 – Vida Terrestre:

O ODS 15 tem como objetivo a proteção, recuperação e promoção do uso sustentável dos ecossistemas terrestres, bem como a conservação da biodiversidade e a luta contra a desertificação.

O Junho Verde pode ser uma oportunidade para que as empresas atentem a importância do uso sustentável dos recursos naturais e a conservação da biodiversidade, além de buscar soluções para a luta contra a desertificação. Para isso, as empresas podem investir em tecnologias e práticas sustentáveis, como a recuperação de áreas degradadas, a adoção de sistemas agroflorestais, a gestão sustentável de florestas e a conscientização dos colaboradores sobre a importância da biodiversidade.

ODS 17 – Parcerias e Meios de Implementação:

O ODS 17 trata da importância da promoção de parcerias e do fortalecimento dos meios de implementação para o alcance dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável.

Para o Junho Verde, é importante que as empresas busquem parcerias com outras organizações e com o poder público para a promoção de ações conjuntas em prol da sustentabilidade. Além do mais, é importante que as empresas fortaleçam seus meios de implementação, como a adoção de ferramentas e tecnologias sustentáveis e a capacitação dos colaboradores em práticas mais conscientes e sustentáveis.

A promoção de parcerias e o fortalecimento dos meios de implementação são essenciais para a promoção de ações mais efetivas e sustentáveis.

Ações práticas que as empresas podem fazer durante o Junho Verde

As empresas podem tomar ações práticas durante o Junho Verde para contribuir para um futuro mais sustentável. Algumas das ações que podem ser implementadas incluem:

  • Revisão seus indicadores de consumo de energia e água e manter um olhar inovador e disruptivo para, cada vez mais, reduzir o consumo de água, tratá-la e reaproveitá-la. Quanto o consumo de energia, é muito importante acompanhar as novas tecnologias e já contemplar no que tem sido desenvolvido para transição global para a energia limpa
  • Implementação programas de reciclagem e gestão de resíduos. Qual deve ser o olhar das empresas para esse tema e como a essas questões têm sido regulamentadas no Brasil.
  • Adoção de práticas de mobilidade sustentável, como a utilização de veículos elétricos ou compartilhados. As empresas não devem pensar que esse tema é algo de responsabilidade apenas para fora de seus muros. Elas podem tem uma visão mais ousada e disruptiva para essa questão.
  • Investimento em fontes de energia renováveis;
  • Adoção de políticas e práticas de compras sustentáveis;
  • Engajamento dos colaboradores em programas de conscientização e educação ambiental.

Legado que o Junho Verde deve deixar nas empresas e na sociedade

Mais do que uma celebração, o Junho Verde deve deixar um legado positivo nas empresas e na sociedade. As empresas devem utilizar esse mês como um momento de reflexão, de implantação de projetos pilotos sobre a sua gestão ambiental e identificar oportunidades para promover a sustentabilidade em suas operações, aprimorando-os e incorporando-os em suas operações.

Nesse sentido, o Qualifica NG pode ser um grande aliado.

Com o módulo ESG do Qualifica NG, as empresas têm acesso a uma ferramenta exclusiva que as coloca à frente no mercado global. Com ela, é possível obter indicadores em tempo real, baseados nos índices de conformidade legal da sua empresa, tudo de maneira fácil e intuitiva. Os CEOs e gestores têm acesso a uma visão estratégica no atendimento da agenda ESG para auxiliar nas tomadas de decisão.

Descubra como essa ferramenta pode ajudar sua organização a mapear riscos e oportunidades, identificar atividades em harmonia com a agenda estratégica da empresa, definir objetivos estratégicos e iniciativas prioritárias nos pilares ESG e ODSs (ONU).

Clique aqui para saber mais e converse com um time de especialistas em Gestão de Requisitos Legais que estará ao lado de sua equipe para construírem um futuro mais sustentável para sua empresa e para a sociedade.

Junho Verde se aproxima: como sua empresa se engajará?

O Junho Verde é um momento importante para reflexão e ação em prol da conservação e proteção do meio ambiente. A adoção de práticas sustentáveis pelas empresas e a conscientização da sociedade são fundamentais para a promoção da sustentabilidade e do desenvolvimento sustentável.

As ferramentas e práticas apresentadas nesse texto podem contribuir para insights valiosos, para seguir a trilha segura proposta em uma gestão mais eficiente e responsável em relação ao meio ambiente e aos ODSs, deixando um legado positivo para as gerações presentes e futuras.

Para a sociedade, o Junho Verde é uma oportunidade de refletir sobre seus hábitos e comportamentos e identificar formas de contribuir para um futuro mais sustentável. A educação ambiental é fundamental para conscientizar e engajar a população sobre a importância da conservação e proteção do meio ambiente.

E para continuar a acompanhar conteúdos relevantes e atualizados sobre sustentabilidade e gestão de requisitos e cultura da conformidade legal siga a Rocha Cerqueira no LinkedIn. Estamos comprometidos em compartilhar informações valiosas para que empresas e sociedade possam agir de maneira mais consciente e sustentável.

Trazemos conteúdos para desmistificar o texto normativo, afinal, ninguém deve ter medo da legislação e sim, compreendê-la e atuar de forma estratégica e preventiva.

Estamos também no LinkedIn, Instagram, no Facebook e em plataformas de podcast. Confira o que nós fazemos por lá!

Compartilhe:
OAB MG 3.057
LINK RÁPIDO
CONTATO
Calendário Ambiental

Solicite seu Calendário das Obrigações Ambientais

Preencha o formulário abaixo com seus dados e receba o calendário solicitado em seu endereço de e-mail.